E um dia, o nosso mundo…Parou!

O Mundo colocou-nos num desafio, cuidarmos de nós próprios, das nossas famílias e de nossas casas…

Para quem já fez ou faz acompanhamento psicológico comigo, este desafio teve o seu início no primeiro dia da nossa terapia. É da minha essência profissional a sensibilização para a importante tomada de consciência, para o autoconhecimento, para a definição de prioridades, tomada de decisões e concretização de escolhas, em função de nós próprios, das nossas verdadeiras vontades, pelo nosso verdadeiro Eu e não pelo nosso Ego.

Para outros, este caminho inicia-se agora. Quem fui, quem sou e quem quero ser! Como fazer???

Disse várias vezes “quando não paramos, a vida pára-nos!” … hoje, a vida parou-nos, parou-nos a todos e parou praticamente o mundo inteiro. É também esta uma oportunidade para nos conhecermos melhor, para escutarmos em vez de ouvirmos, para vermos em vez de olharmos, para sentirmos em vez de tocarmos, para valorizarmos o que agora não temos, para nos recriarmos e criarmos um novo mundo, pois uma Nova Era nascerá, qual? Ainda não sabemos, sabemos que cada um de nós poderá fazer a sua parte.

Sempre disse que todas as “coisas da Vida” têm sempre lados agradáveis e lados menos agradáveis e que a nossa perspectiva sobre o que nos rodeia muda a nossa forma de pensar, sentir e agir.

Em cada casa, em cada quarto, em cada família, em cada pessoa, diferentes perspectivas surgirão perante as dificuldades diárias que encontraremos.

E lembrem-se, eu não sou excepção, a minha casa também é uma casa, uma família, e eu também sou uma pessoa, com uma experiência de vida, pessoal e profissional, que procurará diariamente ajudar, quem queira a minha ajuda, num processo continuo de aprendizagem e crescimento, como tem sido até hoje. Com cada um de vós eu aprendi e continuarei a aprender neste ensaio, que não sendo sobre a cegueira (“Ensaio sobre a Cegueira” de José Saramago), é na minha perspectiva sobre o Amor, o Amor que cada um de nós consegue ter, desenvolver ou criar sobre si próprio, sobre a sua família, amigos, sobre a natureza e o mundo em geral e sem medos! especialmente sem o medo do que é que o outro possa pensar sobre nós.

Nesta “Nova Era”, mantém-se a importância da continuidade dos Acompanhamentos Psicológicos. E assim farei, com o mesmo gosto de sempre e agora com uma nova vontade de ajudar e aprender.

Para quem quiser continuar, para quem sentir necessidade de regressar, para quem simplesmente precisar de ajuda, fá-lo-ei! Agora …. através de vídeo chamada, com o mesmo sorriso de sempre!!!

Sofia Catraio Costa, Psicóloga Clínica e da Saúde, Cédula nº 3911

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *